Join us
Login

O novo normal e a tecnologia

Published by Stela Lachtermacher
April 28, 2020 @ 10:43 PM

Como será o mundo pós pandemia e o que será “aproveitado” deste período

A pandemia tem levado a uma série de quebra de paradigmas e as tecnologias utilizadas poderão vir a ser absorvidas ao dia a dia das empresas e das pessoas quando tudo isso passar. Este cenário e como estas tecnologias têm ajudado no combate ao Coronavírus em companhias brasileiras como a Natura e a Klabin foram as tônicas do primeiro Encontro CIONET do ano, realizado virtualmente nesta terça-feira.

Felipe Zmoginski, fundador e CEO da Inovasia, consultoria que promove a aproximação entre empresários do Cone Sul com empresas da Ásia, principalmente da China, contou como aquele país, onde surgiu o Coronavirus, usou a tecnologia para reduzir o número de internações e de mortes. Segundo ele, este uso envolveu tanto a prevenção à difusão do vírus quanto as medidas junto aos contaminados, além daquelas que serviram à população como carros autônomos para a entrega de mercadorias.  

Na prevenção, máquinas automatizadas usadas para espalhar sementes e fertilizantes nas plantações tiveram seu uso adaptado para a desinfecção de locais públicos, o mesmo acontecendo em transportes públicos, agilizando estes procedimentos e evitando o contato humano; drones detectavam pessoas na rua sem máscara, assim como soluções de reconhecimento da face, e estes tinham então sua temperatura medida para que, se fosse o caso, fossem retirados de circulação.

Já entre os que foram infectados pelo vírus, robôs eram mantidos ao lado de pacientes e faziam o monitoramento, tanto dos respiradores quanto de sinais vitais, que eram transmitidos para o médico; robôs faziam a varredura de ambientes hospitalares e emitiam raios capazes de matar o vírus protegendo os profissionais da saúde que também passaram a contar com um aplicativo baseado em inteligência artificial que lê radiografias ou tomografias e com base no tipo de mancha no pulmão reconhece ser ou não alguém que tinha contraído o vírus, tudo isso otimizando o trabalho das equipes médicas. De acordo com o empresário, a vida voltou mas a um novo normal, com mudanças. Além de marcações na entrada das escolas para que as crianças ainda mantenham a distância recomendável, todas têm sua temperatura medidas na entrada.

Este tipo de medição com aviso imediato à equipe médica é também a base do aplicativo desenvolvido pela Klabin, inicialmente utilizado pelos colaboradores que trabalham nas florestas, mas hoje já presente em todas as fábricas da corporação. Qualquer alteração detectada é comunicada à equipe médica da companhia. Além do aferidor, a solução é composta por um painel para o médico, como um dashboard, para agilizar a tomada de decisão. Hoje o próprio colaborador já entra com sua aferição e qualquer observação que queira passar sobre sua saúde. E no Encontro CIONET foi anunciada a versão do aplicativo que pode ser utilizado por qualquer empresa. Segundo Tatiana Medina, CIO da Klabin, ele é muito parecido com o do SUS, mas é uma plataforma aberta.

Na Natura, uma das grandes mudanças foi a adoção de tecnologias já existentes e disponíveis mas que neste momento passaram a fazer parte do dia a dia das quase 5 milhões de consultoras de beleza da companhia em toda a América Latina. Muitas criaram dentro da plataforma Natura seus próprios espaços digitais e várias, segundo a CIO Renata Marques, transformaram-se em influencers nas mídias sociais. “Houve um crescimento do bilinguismo com o aprendizado do uso mais intenso da linguagem digital”, afirma. E conclui: temos que aprender a aproveitar o bônus do ônus.

Posted in:CIONET Brazil

You May Also Like

These Stories on CIONET Brazil

Subscribe by Email

No Comments Yet

Let us know what you think